Universidade nas Filipinas é atacada durante evento cristão deixando 4 mortos e 45 feridos

Na manhã do domingo (3), a Universidade Estadual de Mindanao, em Marawi, nas Filipinas, foi atacada durante um evento cristão entre os estudantes.

Quatro pessoas morreram e 45 ficaram feridas durante a explosão, conforme a Portas Abertas. Os policiais reforçaram as medidas de segurança no Sul do país e em torno da capital Manila. Os feridos estão recebendo cuidados médicos.

“Não temos medo, mas estamos sendo mais cautelosos, especialmente dada a situação atual”, disse Precious (nome fictício por motivos de segurança), umas das líderes cristãs de origem muçulmana que reside na área.

Grupos pró Estado Islâmico

A organização explica que o chefe das Forças Armadas sugeriu uma possível ligação com recentes operações militares contra grupos locais pró-Estado Islâmico no Sul das Filipinas.

De acordo com o militar, uma operação de domingo em Lanao del Sur levou ao assassinato de um líder do grupo radical islâmico Dawlah Islamiya-Maute, levantando a possibilidade de que o atentado tenha sido uma retaliação.
O presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos Jr., condenou o atentado mortal, afirmando: "Condeno nos termos mais fortes possíveis os atos hediondos e sem sentido perpetrados pelos terroristas estrangeiros. Os extremistas que exercem violência contra os inocentes serão sempre considerados inimigos da nossa sociedade”.

Mindanao é uma região de maioria cristã, onde há uma população muçulmana considerável. Os cristãos já enfrentaram desafios anteriores, incluindo um cerco prolongado por militantes afiliados ao Estado Islâmico, em 2017, em Marawi.

Fonte: Guia-me