Três cristãos são queimados vivos em Uganda, entre eles duas crianças

Em Uganda, terroristas islâmicos da ADF (Forças Democráticas Aliadas) atacaram um vilarejo que fica no Oeste do país. Uma mulher cristã e duas crianças foram assassinados durante o atentado.

O crime aconteceu durante as celebrações de Natal, em 25 de dezembro. Conforme a Portas Abertas, os criminosos amarraram as mãos das vítimas para trás e, em seguida, incendiaram a casa.

Os três foram queimados vivos. Quem encontrou os corpos carbonizados na manhã seguinte foi Audita, a filha da mulher.

“Tudo na casa se tornou cinzas. Não sobrou nada. Minha mãe foi completamente carbonizada. Fiquei sem palavras”, contou aos parceiros locais da Portas Abertas.

‘Três sepulturas foram abertas’

Conforme a organização, as ADF estavam ativas nas fronteiras da República Democrática do Congo e passaram a atacar também os países vizinhos. O grupo é associado ao Estado Islâmico e ameaça a liberdade religiosa em Uganda.

Três sepulturas foram abertas no quintal de Audita: uma para sua mãe e duas para seus sobrinhos Arinda Amon, de 5 anos e Byamukama Mathias, de 13.

No vilarejo de Kyabandara, não muito longe de onde a mãe e sobrinhos de Adita foram assassinados, algumas pessoas também foram forçadas a fugir, pois não se sentiram mais seguras.

A brutalidade dos assassinatos preocupa a população local. Em 18 de dezembro, outra cristã foi morta durante a noite. A líder de mulheres de uma igreja foi encontrada mutilada junto com outras quatro mulheres. Infelizmente, cenas tristes assim têm sido cada vez mais frequentes no país africano.

Fonte: Guia-me