HomeGospel

Surdos são batizados em evento com tradução em Libras

Dez surdos foram batizados e diversos tiveram a oportunidade de estudar a Bíblia durante o “Adorai 2024”, um evento realizado no município de Grajaú, no Maranhão. A iniciativa, parte da campanha anual da Igreja Adventista, buscou fortalecer a inclusão da comunidade surda com o auxílio de um intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O evento, conhecido por ser uma semana de oração virtual, teve como objetivo alcançar as regiões do Amapá, Pará e Maranhão. A presença do intérprete de Libras permitiu que os surdos participassem efetivamente, tendo encontros diários significativos com mensagens religiosas.

Com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que indica que o Brasil possui 9 milhões de pessoas surdas, o trabalho de inclusão, especialmente nas igrejas, é crucial. Apenas no Maranhão, mais de 6.500 pessoas enfrentam algum tipo de deficiência auditiva.

O evento teve um impacto positivo na vida de pessoas como Eurico Ávila, que expressou sua gratidão pela oportunidade de participar e agradeceu ao “Adorai” pela interpretação. Ana Paula Arruda, pioneira na linguagem de sinais da igreja desde 2006, testemunhou o crescimento do interesse pela Libras e a alegria de ver vários surdos batizados.

Além de Grajaú, em Imperatriz, a segunda maior cidade do Maranhão, também há um trabalho com a comunidade surda. Maria Jesus Queiroz, diretora do ministério, está evangelizando Gildeane Alves, surda, e a filha dela, Juliane, que é ouvinte. O trabalho envolve orações pela decisão delas.

Leonardo Siqueira, um dos intérpretes de Libras voluntários no Adorai 2024, destacou a importância de seu papel na proclamação do Evangelho. Ele enfatizou que se sente como um instrumento, fazendo uma oração antes de interpretar para que a mensagem de Deus seja transmitida de maneira autêntica.

Essa foi a 13ª edição do Adorai, que aconteceu de 24 de fevereiro a 2 de março. O evento não apenas fortaleceu a fé da comunidade surda, mas também ressaltou a importância da inclusão e acessibilidade nas atividades religiosas.

Fonte: clique aqui.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS