A secretária municipal de Saúde, Ana Paula Matos, fez um alerta sobre o uso de pomadas modeladoras para cabelo que são proibidas pela Anvisa e que foram registradas nos circuitos do Carnaval de Salvador nesta sexta-feira (9). Durante o balanço da pasta neste sábado (10), a também vice-prefeita revelou a preocupação, pois pode haver evolução para perda de visão. "Nós atendemos só em um módulo cinco pessoas com ocorrências de pomadas modeladoras. Eram algumas cordeiras, elas usaram a pomada no cabelo, aí choveu muito, escorreu e essa pomada pode queimar a córnea. Ela é proibida. Existe fiscalização, a vigilância já tem os boletins, mas ainda assim eu quero reforçar porque isso é muito grave. A pessoa pode queimar a córnea, pode perder a sua visão", reforçou Ana Paula. Além do uso desses produtos, a secretária de Saúde voltou a lembrar do uso de sapatos adequados – sem misturar com bebidas -, pois houve um aumento de 45% dos casos ortopédicos atendidos pela rede de apoio à saúde municipal. "A gente teve uma situação de uma jovem que precisou ir para uma intervenção cirúrgica com um salto muito grande. Então a gente está pedindo que, mais uma vez, cuidado com salto. Use sapato adequado, não misturar com a bebida", ponderou. O prefeito Bruno Reis comemorou os relatos feitos pela Secretaria de Saúde. "As ocorrências nos postos de saúde foram menos graves do que os anos anteriores Isso confirma também que a gente tá tendo no carnaval mais tranquilo, um carnaval onde as pessoas vão com o clima mais de paz e de harmonia", celebrou. "Teve um aumento de atendimento, quase 1.100 casos, mas eles não foram de maior gravidade, a gente já esperava, tanto que aumentei a estrutura, porque a gente sabia que Salvador estava mais cheia. Então isso é natural", completou a secretária. CASOS DE DESIDRATAÇÃO ZERARAM Ana Paula Matos trouxe ainda uma informação sobre uma preocupação prévia com as altas temperaturas e as eventuais consequências disso para quem curte a Folia de Momo. "A gente não teve casos de desidratação, de insolação, justamente pela lógica da proteção que a gente fez com a hidratação", confirmou. A maior atenção nesses casos foi voltada para os bloquinhos infantis, que já tinham apontado que desidratação era a ocorrência mais comum nos pontos de atendimento das próprias agremiações. "A gente combinou em pontos estratégicos distribuir mesmo uma garrafinha e um copinho diferente do adulto, que tem lá o bebedouro. A gente fez isso na Barra e fez isso aqui no Campo Grande, porque aqui não tem ponto de hidratação nosso e está sendo o maior sucesso, porque o tempo que a gente distribui a gente acolhe e orienta", indicou a vice-prefeita.Fonte: Bahia Notícias