Fotos: Ascom/Secis PMS

Com 80% das obras concluídas, o Hospital Municipal Veterinário, que está sendo construído pela Prefeitura na Rua Artêmio Castro Valente, em Canabrava, está cada vez mais perto de fazer parte dos cuidados da saúde da população animal de Salvador. A iniciativa, desenvolvida sob a coordenação da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Resiliência e Proteção Animal (Secis), já traz ansiedade para pessoas como Constança Costa, protetora de animais desde 2001.

Ela é fundadora da Associação Doce Lar, criada inicialmente em Paripe, na região do Subúrbio, para acolher 29 animais. A vontade de cuidar foi maior que as dificuldades de um cenário escasso de suporte a causa animal, tanto na legislação que assegura uma qualidade de vida, quanto de serviços públicos para proteção e cuidados dos anjos de quatro patas.

Mais de 20 anos depois, agora, instalada na região da CIA/Aeroporto, a Doce Lar cuida de 400 animais e, com o futuro Hospital Municipal Veterinário, vai ganhar uma força extra nos cuidados com os pets. “Estamos com frequência resgatando animais em situação de risco ou de acidentes. Os custos da área privada na medicina veterinária podem estar fora das possibilidades financeiras de muitos cuidadores, assim como eu. Todo protetor e tutor carente, que passa dificuldade para cuidar da saúde dos seus animais, não vê a hora da inauguração deste hospital para conseguir acolher e manter a saúde em dia deles, principalmente, pelo respaldo desse hospital ser de uma gestão pública”, relata Constança.

Estrutura – O equipamento de saúde avança para a reta final de ajustes, com a expectativa de ser entregue até o final de 2023. No total, serão investidos R$5,7 milhões para construção do equipamento, que terá dois pavimentos (térreo e primeiro andar) numa área de aproximadamente 1,4 mil m². A unidade terá supervisão da Diretoria de Proteção Animal (Dipa), integrada à Secis.

O atendimento será 100% gratuito com foco nos cuidados de animais domésticos, como cães e gatos com a oferta de atendimento ambulatorial, internamento, raio X e vacina, além de exames de imagem, centro cirúrgico, entre outros. Os tutores poderão recorrer a diversas especialidades que serão ofertadas aos pets, a exemplos de ortopedia, oftalmologia e trato reprodutivo.

A titular da Secis, Marcelle Moraes, avalia de forma positiva o posicionamento de Salvador em tratar a causa animal e suas variantes como uma das prioridades para transformar a qualidade de vida daqueles que vivem em uma metrópole. “Com a efetivação desse hospital, fica muito claro como a gestão municipal da capital baiana vai na contramão dos problemas que afetam uma sociedade, como descontrole populacional de animais e transmissão de doenças. Sem medidas de zelo com a causa animal, o prejuízo financeiro é muito grande, especialmente para a saúde pública. É gratificante para a Prefeitura edificar esse equipamento de saúde para os tutores e protetores associados, que serão beneficiados com mais qualidade de vida para os seus animais com acesso e direto à saúde e atenção básica para todo o tipo de tratamento”.

Fonte: SECOM / Salvador