Presidente eleito do Paraguai reabrirá embaixada em Jerusalém

O Paraguai reabrirá a embaixada do país em Jerusalém, anunciou o ministro das Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen na quarta-feira (16), encerrando ostensivamente uma divisão iniciada cinco anos antes.

Cohen fez o anúncio após uma breve reunião com o novo presidente do Paraguai, Santiago Peña, após sua posse na terça-feira.

“Continuamos fortalecendo o status internacional de Jerusalém como a capital eterna do Estado de Israel”, disse Cohen.

O ministro disse ainda que convidou o presidente eleito para visitar Israel dentro de um ano para dedicar a nova missão e Peña aceitou.

“A abertura da embaixada do Paraguai em Jerusalém junto com a embaixada de Israel em Assunção fortalecerá a posição regional e internacional de Israel, bem como os importantes laços entre os países. Continuaremos e fortaleceremos a importante conexão histórica com os países da América Latina, que há muito defendem o Estado de Israel e o povo judeu”, disse Cohen.

Reivindicação de Israel

Se a intenção de Peña se concretizar, o Paraguai será o quinto país a abrir uma embaixada em Jerusalém, depois de Kosovo, Honduras, Guatemala e Estados Unidos.

Para Israel, as medidas reforçam a reivindicação da cidade como sua capital, embora a maioria dos países mantenham suas embaixadas em Tel Aviv ou ao redor da cidade.

Em 2018, o ex-presidente do Paraguai, Horacio Cartes, anunciou que seu país abriria uma embaixada em Jerusalém, seguindo movimentos semelhantes dos EUA e da Guatemala.

No entanto, a embaixada foi transferida de volta para Tel Aviv após apenas cinco meses em que sucessor o Cartes, Abdo Benitez, que disse não ter sido consultado na decisão original e indicou que prejudicou os esforços para manter uma abordagem mais neutra do conflito israelense-palestino.

Cerimônia de posse

Economista, Peña venceu com folga a eleição no início deste ano, mantendo o Partido Colorado no poder por mais cinco anos.

Peña, de 44 anos, tornou-se o governante mais jovem da era democrática no Paraguai e é considerado o herdeiro de Cartes, que tomou a decisão inicial da embaixada do país em Jerusalém há cinco anos.

Na cerimônia de posse, o novo presidente prestou juramento do lado de fora do palácio do governo em Assunção com a presença de vários líderes regionais, incluindo Cohen, que conheceu brevemente o novo líder do Paraguai, disse o Ministério das Relações Exteriores.

Não houve nenhuma palavra imediata de Peña ou de seu gabinete confirmando que ele havia decidido manter a promessa de campanha de devolver a embaixada de seu país a Jerusalém.

Israel não anunciou um cronograma para a reabertura da embaixada em Assunção.

Comunidade internacional

Jerusalém, incluindo sua porção Oriental anexada em 1980, é considerada por Israel como sua capital.

No entanto, a maior parte da comunidade internacional não reconhece essa alteração e defende que os limites definitivos da cidade deveriam ser determinados por meio de negociações com os palestinos.

Embora Israel mantenha relações diplomáticas com quase 100 nações, todas elas mantêm suas embaixadas em Tel Aviv.

Fonte: Guia-me