HomeBahia

Para com esse umbigocentrismo! – Diário Bahia

 

É isso mesmo, meu amado leitor: umbigocentrismo. Termo que denota uma característica de acreditar que o mundo, o universo, o cosmos, a galáxia, o sol giram em torno do seu umbigo. Todos juntos e ao mesmo tempo. É aquela velha máxima de achar que as pessoas te devem tudo, que todas as palavras e falas são direcionadas a você, porque tudo é levado para o lado pessoal. É hora de acordar para a realidade, monamour! Você é apenas mais uma pessoa comum, dentre as mais de sete bilhões de pessoas comuns desse mundão de meu Deus!

E isso, de forma alguma, é dito na intenção de diminuir sua importância, desvalorizar sua história, desrespeitar suas dores. Longe, mas muito longe disso! Até porque o meu trabalho é, fundamentalmente, segurar sua mão para que você comece a trilhar a jornada de reconhecer a sua grandeza na ordinariedade da vida, no cotidiano, nas pequenas e menores coisas do dia a dia. É justamente disso que estamos conversando aqui hoje, meu amado leitor, enxergar a riqueza que é ocupar o seu lugar. Estar bem posicionado no seu lugar.

O seu lugar enquanto filho, reconhecendo que seus pais fazem, fizeram, farão o que cabe a eles para que você esteja aqui hoje, gozando de capacidades físicas, mentais e emocionais lendo esta coluna. Se você acredita que deveriam ter feito diferente, que tem muitos traumas e dores trazidos de sua infância, que seus pais são os responsáveis pelos seus infortúnios, lamento profundamente informá-lo, meu caro leitor, mas a vida anda para frente! Você é um adulto funcional, de maior, vacinado e vermifugado, enquanto seguir acreditando que seus pais ou cuidadores te devem qualquer tipo de coisa, é a sua vida que paralisa e você não vai conseguir ocupar os outros devidos lugares.

O lugar de profissional, mãe, pai, esposa, marido, amigo, irmã… tudo fica fora do eixo. Ninguém te deve nada e é necessário reconhecer a sua humanidade, a sua imperfeição, a sua impotência diante de muitas coisas na vida para que possa abraçar a sua riqueza. Parece paradoxal, não é? Pegue sua xícara de chá, seu copo d’agua e me acompanhe aqui no raciocínio.

Perceber que fazer da sua vida algo valioso é uma responsabilidade sua é a chave do sucesso aqui. Fazer as pazes com o que foi e se abrir para o que vai ser é o seu compromisso firmado. Olhar para a sua vida e se engajar em fazê-la cheia, iluminada, resplandecente, esplendorosa! E, para isso, não estamos falando de grandes, extraordinários, estupendos, magníficos, opulentos episódios.

Estamos falando aqui da vida cotidiana. As pessoas se tornam verdadeiramente extraordinárias quando vivem alinhadas com elas mesmas e com a realidade da vida. Com o compromisso magnânimo que é cumprir as suas tarefas, obrigações, deveres; fazer seu trabalho com maestria, sem ficar reclamando o tempo inteiro que não está bom enquanto você não faz absolutamente nada para modificar o cenário.

As pessoas se tornam verdadeiramente extraordinárias quando assumem as rédeas das suas próprias vidas e pagam os preços necessários de seguir caminhando com a coragem de quem sabe onde quer chegar, a força de quem sabe o que quer e a gentileza de quem sabe respeitar, a si mesmo e aos outros.

Larga mão da âncora que é esse pensamento de que o mundo gira em torno do seu umbigo. O movimento mais genuíno a ser realizado é em direção ao amadurecimento da nossa personalidade para abandonar essas posturas infantis de colocar no outro a responsabilidade pela nossa vida e felicidade.

E, assim como a Terra realiza o seu movimento de translação em torno do Sol buscando a luz, que a gente se mexa e pague o preço de encontrar o eixo de alinhamento.

 

* Psicanalista e Psicoterapeuta

Instagram: @maribenedito

Fonte: Diário Bahia

COMMENTS