Orientados por visão, iraquianos escutam rádio cristã e aceitam Jesus

A comunidade cristã no Iraque está em reconstrução depois que o grupo terrorista Estado Islâmico foi expulso de grande parte do país em 2017.

Mesmo assim, o país vive em turbulência, porque ainda é alvo de ataques de mísseis do Irã e da Turquia. E os cristãos locais continuam enfrentando perseguição.

Nesse cenário, o Evangelho tem sido anunciado no país de maioria muçulmana através das ondas de uma rádio cristã.

“Deus ainda está trabalhando mesmo em meio a todo o caos; o Senhor está fazendo algo incrível!”, disse Samuel*, do Mission Network News.

Um missionário local, que opera a rádio cristã, relatou que iraquianos têm conhecido o Evangelho e chegado a Jesus através da programação.

Conforme Samuel, uma família sintonizou a rádio e “ouviu o Evangelho pela primeira vez, decidiu seguir Cristo e ficou muito entusiasmada por receber a sua primeira Bíblia para ler e compreender mais sobre quem é Jesus”.

Já um grupo de iraquianos teve uma visão, onde foram orientados a ligar o rádio e sintonizar a estação cristã em determinado horário.

Eles seguiram a visão e ouviram o Evangelho na rádio missionária. “[Eles] ligaram [para a rádio], contaram à pessoa ao telefone sobre a visão e se tornaram crentes naquele momento”, testemunhou Samuel.

Ele pediu oração pelos cristãos no Iraque. “Precisamos orar para que nossos irmãos e irmãs sejam protegidos, que continuem a ser ousados ​​e que Deus seja glorificado em tudo isso” disse.

Cristãos perseguidos no Iraque

A comunidade cristã do Iraque continua sofrendo as graves consequências do genocídio do Estado Islâmico, e os cristãos de origem muçulmana são o principal alvo de violência. A perseguição enfrentada cristãos forçou a maioria a fugir do país.

Atos de violência contra cristãos são mais cometidos por militantes islâmicos, considerando que convertidos ex-muçulmanos geralmente enfrentam violência de parentes. Embora algumas famílias cristãs tenham voltado para suas casas, a migração de cristãos continua devido ao medo e falta de esperança por um bom futuro.

As igrejas no país são seriamente afetadas pela perseguição, especialmente por militantes de grupos islâmicos e líderes não cristãos. Elas também enfrentam discriminação das autoridades governamentais.

No Centro e Sudeste do Iraque, cristãos com frequência não mostram publicamente símbolos cristãos (como a cruz), já que isso pode levar a assédio ou discriminação em postos de controle, universidades, locais de trabalho e prédios do governo.

Mesmo cristãos no Curdistão iraquiano tem declaradamente removido cruzes de seus carros para não atrair atenção indesejada.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte: Guia-me