A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou, na última quarta-feira (9), sobre os riscos da disseminação da nova variante do Covid-19. Identificada como EG.5 ou Eris, a variante foi identificada em fevereiro e se espalhou por diferentes continentes estando associada a um maior risco de contágio do coronavírus. A cepa surgiu a partir da Ômicron e possui mudanças na proteína spike do vírus, justamente a parte do patógeno que grande parte das vacinas ensinou o corpo a combater. A variante já foi encontrada em 51 países, com grande participação em casos diagnosticados a partir de julho. Só na China, cerca de 30% das novas infecções foram pela nova variante. Já nos Estados Unidos, 18% e na Coreia do Sul, 14%. Outros países da Europa ocidental também reportaram casos. Ainda não foram registrados casos de contaminação pela Eris no Brasil, porém os casos de Covid voltaram a crescer como um todo no mundo. No final de junho, ela representava apenas 7,6% das contaminações registradas por Covid registradas. Um mês depois, o número cresceu para 17,4%. "Devido à sua vantagem de transmissão e suas características de enganar o sistema imunológico, a EG.5 pode causar um aumento na incidência de casos e tornar-se dominante em alguns países ou mesmo globalmente", alerta o comunicado da OMS.Fonte: Bahia Notícias