HomeEconomia

O que sabemos sobre o Grok, a nova IA de Elon Musk

Poucos dias após anunciar uma ofensiva judicial contra a OpenAI, do ChatGPT, Elon Musk anunciou a abertura do código do Grok, modelo de inteligência artificial de sua companhia xAI.

Com a promessa, o bilionário cutuca diretamente a OpenAI, companhia que, apesar do nome, abandonou o modelo open source ao qual foi originalmente estruturada. O Grok é um chatbot que tenta rivalizar com o ChatGPT.

A ferramenta foi disponibilizada aos assinantes da modalidade Premium+ da rede social X (antigo Twitter) que custa entre R$ 84 e R$ 110 por mês.

Seu acesso acontece dentro da própria plataforma e não existe um site ou app independente do chatbot. Criado pela xAI, empresa de inteligência artificial do próprio Musk, o Grok é descrito como um chatbot “bem humorado”.

Sua principal diferença é o seu senso de humor sarcástico e politicamente incorreto, supostamente inspirado pela série de livros Guia do Mochileiro das Galáxias.

A xAI afirma que o chatbot é capaz de responder até as perguntas mais controversas e rejeitadas por outros sistemas de IA, e que ela é “útil para pessoas de todas as origens e visões políticas”.

O fator “rebelde”, contudo, pode ser desligado, o que a aproxima de uma IA mais convencional. Outro diferencial do chatbot, segundo a empresa, é sua atualização constante em tempo real, a partir de dados extraídos da plataforma X.

O ChatGPT, por exemplo, é alimentado por conteúdos da web mas não possui a capacidade de comentar eventos em tempo real. A última atualização de conhecimento de seu modelo mais poderoso, o GPT-4, é de abril de 2023. Já a versão gratuita, de janeiro de 2022.

O Grok pode ser útil para usuários assíduos do próprio X, uma vez que ele é capaz de dar contextos de trending topics e posts em alta dentro da própria plataforma, reforçando o ecossistema da empresa de Musk e sua ideia de criar um superapp, um “aplicativo para tudo”.

Em testes acadêmicos, o Grok superou a versão gratuita do ChatGPT (o GPT-3.5) em desempenho, mas não o GPT-4. A versão paga do chatbot da OpenAI também ganha na quantidade de recursos, incluindo geração de imagens, com o DALL-E 3, navegação via Bing, análise de dados avançada e suas centenas de plugins adicionais de desenvolvedores terceirizados.

Grok ou Groq?

O Grok é uma das mais recentes adições na crescente lista de empresas que estão investindo em seus próprios chatbots baseados em LLM (modelos amplos de linguagem), como o Gemini, do Google, o Claude AI, da Anthropic, o Meta AI, entre outros.

Um desses novos modelos, inclusive, pode ser facilmente confundido com o chatbot da xAI, o Groq, que se destaca pela capacidade de geração de respostas quase instantâneas.

A Groq Inc. afirma que o segredo de seu modelo é o uso de uma Unidade de Processamento de Linguagem (LPU) em vez de uma Unidade de Processamento Gráfico (GPU), um chip proprietário.

Por meio de uma carta sarcástica, a Groq, que detém os direitos do nome, já declarou guerra contra o dono da Tesla por ele ter lançado sua IA com um nome e pronúncia semelhantes.

Outra figura que tem atacado Musk publicamente é o próprio CEO da OpenAI, Sam Altman, que um dia já foi amigo do bilionário dono da Tesla, com quem ele fundou a OpenAI, juntamente com Peter Thiel.

Durante o anúncio do Grok, em novembro de 2023, Altman fez uma publicação ironizando a IA de Musk, sugerindo que modelo não seria muito diferente do que uma versão customizada do ChatGPT, porém com um senso de humor “boomer” e “cringe”.

Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS