Mulher testemunha milagre após ser baleada na cabeça: “Para Deus nada é impossível”

Fernanda Marcelino foi baleada na cabeça, tórax e na mão dentro de sua papelaria em Jardim Peruíbe, litoral de São Paulo, no dia 5 deste mês.

Ela contou que uma das balas 'entrou e saiu' de sua cabeça, sem causar nenhum dano. As outras seguem alojadas, porém sem riscos.

"Tomei um tiro na cabeça, mas a bala entrou e saiu. Impossível uma bala entrar e não perfurar o crânio, mas para Deus nada é impossível", disse ela ao G1.

Fernanda contou que foi salva dos disparos feitos supostamente pelo ex-marido por um "milagre de Deus".

O G1 informou que a vítima foi levada à Unidade de Pronto Atendimento de Peruíbe (SP) logo após o ocorrido e, na sequência, encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande (SP), onde esteve internada.

O crime

Fernanda contou que foi abordada pelo homem em sua papelaria. E apesar do susto, ela acreditava que tudo não passava de uma armação.

"Fui para baixo da mesa me proteger. Depois, ele encostou o revólver na minha cabeça e atirou. Até então, eu achei que era uma brincadeira. Eu estava duvidando da maldade. Pensei: 'Ele está me assustando, não é nada demais'", relembrou ela.

De acordo com Fernanda, o ex-marido contornou a mesa para se aproximar dela logo após o segundo disparo.

"Subiu em cima de mim, e então começou a atirar no meu rosto, mas não saíram as balas, pois o revólver dele falhou", relatou ela.

A vítima explicou que só conseguiu escapar, depois de lutar com o homem e levar um tiro na mão.

O hospital Irmã Dulce informou ao G1 que a paciente passou por exames, foi atendida por equipe multidisciplinar e recebeu toda a assistência necessária conforme seu caso clínico.

Em nota, a unidade de saúde acrescentou que o estado de saúde de Fernanda é estável e ela permanece em acompanhamento na enfermaria cirúrgica.

De acordo com a Secretaria de Estado dos Negócios da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), a própria vítima informou aos policiais militares que responderam a ocorrência, que o crime foi cometido pelo seu ex-marido, de 45 anos.

O caso foi registrado como violência doméstica e tentativa de feminicídio na Delegacia de Peruíbe e é investigado pela Polícia Civil.

Fonte: Guia-me