Foto: André Frutuôso/CAR

A execução de políticas públicas do Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), para o fortalecimento da agricultura familiar da Bahia também será referência para novas ações a serem executadas para o desenvolvimento rural na Colômbia.

O reconhecimento e a valorização das experiências baianas foram destacados pela delegação colombiana composta por membros do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (MADR), da Agência de Desenvolvimento Rural (ADR), da Embaixada da Colômbia no Brasil, do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura da Colômbia (FAO Colômbia), que finalizaram, nesta sexta-feira (22), uma missão técnica na Bahia.

O presidente da ADR, Luis Higuera, avaliou a soma dos conhecimentos repassados pelo Governo do Estado por meio CAR e SDR, durante os três dias de visita ao estado. “Encontramos na Bahia uma fortaleza em relação ao associativismo e cooperativismo dos camponeses em parceria com o Estado. Nessa visita, conseguimos enxergar formas de aumentar a produtividade e gerar um avanço financeiro para que os nossos agricultores familiares possam ter uma vida mais digna”, ressaltou.

O diretor-presidente da CAR, Jeandro Ribeiro, destacou que a Bahia se tornou referência por desenvolver, especialmente nos últimos anos, um trabalho em que já se pode verificar os resultados, sendo alguns deles visitados pelo grupo da Colômbia. “Essas experiências apresentadas durante a missão técnica são apenas uma amostra dos investimentos que estão sendo feitos pelo Governo do Estado nos quatro cantos da Bahia, a exemplo das unidades polivalentes de frutas que temos também em municípios como Sobradinho, no território Sertão do Sertão do Francisco. Então, é nesse processo de construção que seguimos na Bahia e esperamos intensificar os laços com a Colômbia, principalmente naquilo que nos une, como a cultura do cacau e do café”.

Fernando Cabral, coordenador do Bahia Produtiva, projeto executado pela CAR, com cofinanciamento do Banco Mundial, analisou mais essa visita de países a essa experiência exitosa da agricultura familiar, que já beneficiou mais de 40 mil famílias pelos 27 territórios baianos. “O Bahia Produtiva é uma referência não só no Brasil, mas uma referência mundial na inclusão socioprodutiva das famílias agricultoras. A nossa perspectiva é receber, em novembro, uma comitiva da Indonésia para conhecer também os resultados das nossas ações”, observou.

A Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), sediada em Ibicaraí, foi uma das organizações visitadas. O presidente da Coopfesba, Osaná Crisóstomo, comentou sobre a satisfação de mostrar os resultados positivos dos investimentos feitos na agroindústria familiar de produção de chocolate. “O cooperativismo avança a cada dia na Bahia justamente pelo apoio do Governo do Estado na execução de políticas públicas”.

Além da experiência da Bahia Cacau e da Biofábrica da Bahia, a comitiva visitou o Empório e o Centro de Distribuição da Agricultura Familiar, em Salvador. Foram apresentadas ainda as experiências da Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), da Associação de Desenvolvimento do Baixo Sul (Adebasul), e da Cooperativa de Biojoias, Pesca e Agricultura em Ituberá (Coobpagi).

O especialista sênior em Agricultura Familiar e Mercados Inclusivos da FAO Colômbia, Marcos Fazzone, analisou a experiência na Bahia na agroindustrialização como um diferencial a ser seguido na Colômbia. “Foi um momento de muita aprendizagem em relação ao processo associativo dos agricultores familiares na gestão e operação das agroindústrias”, informou.

O legado do Bahia Produtiva será ampliado a partir deste segundo semestre de 2023, quando entra em operação o projeto Bahia que Produz e Alimenta para dar ainda mais robustez e acelerar o crescimento econômico das organizações produtivas da agricultura familiar da Bahia.

Fonte: Ascom/CAR