Missionários relatam desafios para pregar aos não alcançados no Japão: “Começamos do zero”

Andrew e Joanna Wong são membros da missão “OMF” na Austrália. Atualmente, o casal está servindo no Japão com o objetivo de plantar uma igreja.

Andrew contou sobre os desafios que enfrentam para evangelizar em Yahaba, uma das áreas menos alcançadas do país.

“Há cinco anos, chegamos aqui. Apesar de décadas de esforço missionário, o Japão é um país com muito poucos cristãos e a nossa cidade é considerada não alcançada, com a menor proporção de cristãos em comparação com a nação como um todo”, disse ele à Revive.

O casal e seus três filhos, só podiam contar com uma amiga cristã que fazia parte da equipe chamada Hoi-Yan.

“Não havia cristãos japoneses com quem trabalhar, estávamos começando do zero”, afirmou ele.

“Da mesma forma que o DNA de um ser humano é transmitido na concepção, sabemos que o que estabelecemos como o nosso “DNA de fazer discípulos” na fase embrionária da igreja terá repercussões significativas para o futuro”, acrescentou.

Desafios

Segundo o missionário, a experiência tem mostrado que a forma como eles realizam o discipulado e o evangelismo no país, será um modelo para as próximas gerações.

Andrew explicou que sua principal estratégia está baseada no exemplo dos cristãos desde o nascimento da igreja: “Tempo significativo em oração, meditação da Palavra de Deus e amar uns aos outros como Cristo”.

“Nos sentimos frequentemente atraídos pela promessa de Jesus de que a maneira de mostrar às pessoas que somos seus discípulos não é através de eventos, mas da comunidade cristã amar uns aos outros como Ele nos amou”, disse Andrew.

Testemunho

Na “Associação de Pais e Mestres” do jardim de infância de sua filha, Joanna conheceu Emma*.

Ela tinha um casamento difícil e muitos problemas familiares e financeiros. Então, o casal pediu direção a Deus sobre o que poderiam fazer para ajudá-la.

“Saímos juntos em passeios de família, construí prateleiras personalizadas para ajudar a facilitar o espaço em seu apartamento e também ajudamos com a alimentação”, contou Andrew.

E continuou: “Eu saí com os filhos dela, pois sabia o quanto eles precisavam de um modelo masculino melhor em suas vidas”.

Depois de passarem um tempo orando por ela e a incentivarem a orar também, Emma quis saber mais sobre o Evangelho.

“Começamos com aulas onde ensinamos uma perspectiva sobre a família que pode estar bem distante do pensamento japonês. Ficamos muito encorajados quando ela mencionou pedir desculpas aos filhos — uma ação que seria impensável na maioria dos lares japoneses”, disse Andrew.

A partir dos estudos bíblicos, Emma continuou buscando aprender mais sobre Jesus através da Bíblia.

Os missionários confessaram que se sentem inseguros sobre a diferença linguística para alguns termos específicos como: oração, perdão e pecado.

No entanto, afirmaram: “As nossas palavras podem falhar, mas esperamos que, ao observar o amor genuíno e semelhante ao de Cristo que temos uns pelos outros, ela experimente o poder transformador do Evangelho. Não apenas para ela, mas para as gerações futuras”.

“Pois só quando testemunhos como esses forem compartilhados continuamente, é que uma igreja pode ser plantada em pequenas cidades como a nossa, na região do Japão”, concluíram.

Fonte: Guia-me