Missionários ajudam sobreviventes de terremoto no Nepal: “As pessoas estão com medo”

No início de novembro, o Nepal, país na Ásia, foi atingido por um terremoto de magnitude 6,4, que matou mais de 150 pessoas, feriu quase 200 cidadãos e deixou mais de 10 mil desabrigados.

Além disso, cerca de 45 mil estruturas e residências foram destruídas ou gravemente danificadas.

A Missão Portas Abertas informou que muitos cristãos locais estão entre as vítimas. Alguns morreram e outros foram hospitalizados. Após os tremores, 51 cristãos tiveram as casas destruídas e estão desabrigados.

Durante este período, a agência de notícias BBC relatou que não havia tendas suficientes para todas as pessoas se abrigarem. Por isso, o governo concordou em aceitar ajuda.

A partir disso, a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) ampliou seu Plano Nacional de Gerenciamento de Emergências (NEMP) para ajudar os sobreviventes.

Assistência no local

Os voluntários da ADRA estão trabalhando nos distritos Jajarkot e Rukum, da província de Karnali. Eles descreveram a situação do país, assim que chegaram na região:

“Foi de partir o coração ver aquela devastação. Quase todas as casas estão muito danificadas, e as pessoas ainda estão muito preocupadas e com medo porque os terremotos continuam a ocorrer aqui”.

E continuaram: “Os moradores já não podem ocupar suas casas e estão vivendo em abrigos construídos com coisas que eles puderam encontrar. Eles ficaram muito satisfeitos em receber os kits de abrigo de emergência, pois qualquer proteção contra o frio é essencial durante esse período difícil”.


Casa destruída no terremoto. (Foto: Reprodução/Notícias Adventistas/ADRA)

Segundo o Notícias Adventistas, a ADRA está priorizando a ajuda para as comunidades mais afetadas e vulneráveis. Eles estão fornecendo kits de abrigo de emergência e assistência médica.

“A presença de longa data da ADRA no Nepal e sua significativa experiência em assistência em catástrofes garantem uma resposta rápida e eficaz a esta emergência”, relatou Elizabeth Tomenko, gerente sênior do programa de emergência da ADRA.

“Estamos preocupados com as milhares de pessoas e famílias que ainda não têm um lugar para viver à medida que o inverno se aproxima. Garantir que as pessoas tenham acesso a suprimentos de emergência para ficarem bem é o objetivo principal da ADRA”, acrescentou ela.

Elizabeth informou que a equipe planeja estender o apoio ao governo local para fornecer kits de ajuda para o inverno, suprimentos médicos e assistência para a reconstrução de instalações médicas que foram danificadas.

Fonte: Guia-me