Igreja nos EUA vai utilizar IA para prevenir tiroteio em massa

Recentemente, Matt Montana, diretor de segurança da Igreja Batista Valley em Bakersfield, Califórnia, participou do podcast “Higher Ground With Billy Hallowell” e contou como sua igreja está se preparando para usar a inteligência artificial (IA) para deter homens armados.

“Cheguei aqui há pouco mais de três anos, depois de me aposentar da área militar. E ao avaliar as necessidades de segurança da nossa comunidade, senti que era importante identificar algum tipo de tecnologia que nos permitisse descobrir se alguém tinha armas no nosso campus”, disse ele.

Matt, que é ex-agente federal, contou que sua maior preocupação é com a segurança das pessoas.

No período em que Matt começou a buscar estratégias para proteger a Igreja Batista Valley, ele conheceu a empresa “ZeroEyes”.

ZeroEyes

A empresa foi fundada por uma equipe de ex-militares das operações especiais da Marinha dos Estados Unidos e especialistas em tecnologia.

De acordo com o site da instituição, ZeroEyes é um “software proativo de detecção de armas verificado por humanos que se integra às câmeras de segurança digital existentes com a missão de impedir tiroteios em massa e violência relacionada a armas”.

Rob Huberty, cofundador da empresa, afirmou ao “Higher Ground With Billy Hallowell” que ele e sua equipe começaram a se estabelecer após o massacre da escola Stoneman Douglas High School em Parkland, Florida, que ocorreu em 2018.

Considerando que muitas pessoas não estão monitorando ativamente as câmeras de segurança para verificar tais ocorrências, a equipe pensou na melhor forma de utilizar a tecnologia para preencher essa lacuna e se tornar uma ferramenta proativa em diversas instituições.

Segundo Rob, o software sinaliza qualquer arma que aparecer nas câmeras de segurança: “Se houver uma imagem, ele enviará um alerta e fornecerá a imagem daquele local”.

Ele explicou que a imagem sinalizada pode chegar até os socorristas e ajudá-los a tomar medidas rápidas e decisivas para resolver as ameaças.

Rob assegurou que o uso das câmeras atuais não invade a privacidade e, ao mesmo tempo, aumenta a segurança.

Impacto na comunidade cristã

Segundo a CBN News, a Igreja Batista Valley ainda não está utilizando o ZeroEyes, mas os fiéis já aprovaram o esforço para protegê-los.

“Eu realmente comecei a estudá-lo e pensei que seria perfeito para nós”, disse Matt.

“Os cristãos estão gratos pelos esforços que estamos fazendo para proteger a congregação”, acrescentou.

O ex-policial, passou os últimos 14 anos de sua carreira designado para um esquadrão anti terrorista internacional do FBI.

“Acho que é extremamente importante para mim, que as igrejas reconheçam isso e estejam vigilantes. Não paranóicos, mas vigilantes”, concluiu ele.

Fonte: Guia-me