HomeFeira de Santana

Hospital Clériston Andrade vai ganhar posto da Polícia Civil 24 horas – Acorda Cidade

HGCA
Foto: Ney Silva/Acorda Cidade

O trabalho de investigação da Polícia Civil de Feira de Santana e região vai ganhar um reforço importante com a implantação de um posto policial no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). Ao portal Acorda Cidade, o coordenador regional de polícia, delegado Yves Correia (1ª Coorpin), informou que o posto terá funcionamento 24 horas. A inauguração, segundo o coordenador, deve ocorrer em breve, e está dependendo da posse de novos policiais. As nomeações estão previstas para serem publicadas no Diário Oficial do Estado, desta quarta-feira (2).

“Certamente é mais um ganho aqui para Feira de Santana e região e para a 1ª Coordenadoria. O posto da Polícia Civil já está pronto e só estamos aguardando os colegas chegarem, os novos policiais civis que estão chegando e que irão reforçar o nosso quadro de efetivo. Serão 8 policiais civis atuando no posto do Hospital Geral Clériston Andrade”, informou.

delegado yves correiadelegado yves correia
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Para Yves, o posto vai facilitar muito o registro das ocorrências de tentativa de homicídio, bem como de lesões corporais e outros diversos delitos que cheguem ao conhecimento da polícia, através das entradas de pacientes no hospital.

“Este hospital atende a 126 municípios, ou seja, é muito além da Coorpin de Feira de Santana, de modo que, estrategicamente para a Segurança Pública, se percebeu que é extremamente relevante. Ali há parentes, testemunhas e muitas vezes as próprias vítimas já falam se viram o autor ou se sabem quem são, já indicam. Então é mais um reforço que a Polícia Civil ganha aqui de Feira de Santana, o que vai ajudar a operacionalizar ainda mais a Coorpin”, disse.

A Polícia Militar já atua no HGCA fazendo as ocorrências de modo administrativo, contudo nem sempre há o Boletim de Ocorrências.

“É o BO, o Boletim de Ocorrência Policial, que gera o futuro inquérito, a futura investigação policial. Então, com esse posto da Polícia Civil implantado, você já vai conseguir iniciar a ocorrência e, logicamente, o delegado da área referente àquela tentativa, àquela lesão corporal, terá que despachar para instaurar ou não o procedimento de inquérito policial, ou o termo circunstanciado, a depender do caso e do grau da lesão. Será possível iniciar as investigações com base nisso e buscar esses autores e as cautelares para prendê-los. É Importante demais esse posto e logicamente a gente vai estar trabalhando em parceria, como sempre, com a Polícia Militar. É mais um avanço para a cidade de Feira de Santana, que a gente está conseguindo e, graças a Deus, evoluindo cada vez mais”, explicou o coordenador durante entrevista ao Acorda Cidade.

Yves Correia comentou que atualmente existe uma comunicação via WhatsApp entre o Hospital Geral Clériston Andrade e a Polícia Civil, mas reforçou que o posto vai acrescentar muito mais recursos informativos ao trabalho de investigação.

“Existe claramente a necessidade deste posto. Antigamente, não chegavam muitas tentativas, muitas lesões corporais ao conhecimento da polícia. Então, é um verdadeiro absurdo, porque você gera um ciclo natural de violência, uma vez que aquela vítima de hoje pode ser o autor de amanhã. Então, a gente tem que estar monitorando essas vítimas de tentativa. Não obstante, o crime não ter sido consumado ocorre por circunstâncias alheias à vontade dos autores e a gente tem que buscar, sim, esses autores para evitar futuros crimes. Além disso, muitos pacientes mentem, dão identidade falsa, então, se isso ocorrer, a gente consegue, inclusive, enquadrar em um crime de uso de documento falso ou de uma falsa identidade em flagrante delito”, concluiu.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS