Cristão sobrevive a ataque de radicais após orar: “Deus fez um milagre”

Um cristão perseguido no Sudão está testemunhando como foi livrado da morte durante um ataque de radicais islâmicos, após clamar a Deus.

Segundo a Global Christian Relief, Baballah cresceu em uma família muçulmana na região de Darfur.

Na adolescência, ele se mudou para a capital do país para concluir o ensino médio. Na nova escola, Bababallh conheceu um colega cristão, que compartilhou o Evangelho e lhe deu uma Bíblia.

O menino muçulmano leu a Palavra e sentiu Deus falando com ele. Então, em 2021, durante o Ramadã, Baballah entregou sua vida a Jesus e se tornou cristão.

Expulso da família

Porém, sua nova fé não agradou a comunidade muçulmana e ele enfrentou perseguição por parte de sua própria família. Seus amigos se afastaram e denunciaram Baballah aos líderes islâmicos.

“Meus parentes me isolaram completamente e terminaram o relacionamento comigo. Eles me expulsaram”, contou ele, ao Global Christian Relief.

Em junho deste ano, o cristão se tornou alvo de muçulmanos radicais, que afirmaram que Baballah era um infiel e merecia ser morto.

Certa noite, por volta das 2 horas da madrugada, dois homens armados invadiram a casa do ex-muçulmano.

Baballah e outro cristão estavam orando na sala da residência no momento do ataque. Os radicais tentaram entrar à força no cômodo, mas a porta estava fechada.

Então, eles abriram fogo contra a porta e Baballah começou a clamar por ajuda ao Senhor.

“Eu estava orando seriamente a Deus, levantando as mãos e apontando para a porta onde os homens armados empurravam com força”, lembrou ele.

Radicais desapareceram

Deus atendeu a oração e deu livramento aos dois cristãos. “Depois de abrir os olhos, os homens armados não foram encontrados em lugar nenhum. Senti que Deus respondeu à minha oração e fez um milagre”, testemunhou Baballah.

O cristão perseguido disse que sua fé foi fortalecida com a experiência sobrenatural. “Esse incidente me ensinou como depender e confiar em Deus cada vez mais. Ainda hoje, continua sendo minha fonte de incentivo para orar e jejuar mais”, declarou.

Fonte: Guia-me