Cristã prega sobre o valor da vida e casal muçulmano desiste de aborto

Dhea é uma missionária que vive no Sudeste Asiático. Recentemente, ela recebeu em sua casa um casal de muçulmanos que viajou até seu país para a realização de um aborto.

Antes, porém, que chegasse o dia do procedimento, Dhea que é parceira da Portas Abertas, conversou com a grávida sobre o valor da vida sem, no entanto, forçar que a mulher mudasse de ideia.

O dia da consulta chegou e Dhea os acompanhou até a clínica. Ao entrar na sala do médico, a grávida disse que estava ali somente para uma consulta de rotina e não mencionou o desejo de abortar o filho em seu ventre.

‘Medo de ter passado dos limites’

Dhea aguardava no corredor e ficou surpresa ao ver a muçulmana saindo do consultório tão rápido. Ainda sem palavras e com o coração acelerado, Dhea ficou ainda mais ansiosa quando o marido perguntou sobre a consulta.

A muçulmana disse que estava tudo resolvido. Dhea viu que o marido ficou confuso, mas seguiram adiante. Os dois foram para a casa da cristã.

Naquela noite, Dhea conta que não conseguia dormir. Ela não parava de pensar sobre o casal e esperava ouvir gritos no quarto ao lado, mas não ouviu nada.

Ela sentiu como se tivesse ultrapassado um limite ao influenciar a mulher em uma decisão tão importante. O casal havia decidido gastar o pouco dinheiro que tinha para ir ao país para tirar o bebê. E ela tinha convencido a mulher a fazer o oposto.

'Vamos manter o bebê'

Aquela noite passou e, logo pela manhã, Dhea aguardava ansiosa pelo casal na sala de jantar. Eles finalmente vieram e se sentaram com ela.

“Vamos manter o bebê”, a mulher disse e em seguida desabou em lágrimas. O casal disse à cristã que estava feliz por ela ter trazido uma perspectiva diferente sobre aquela decisão e porque ela os acompanhou na consulta ao invés de simplesmente deixá-los no hospital.

Dhea, então, louvou a Deus pela compaixão que a moveu naquele momento e pela direção divina em cada decisão. O tempo passou e o bebê nasceu saudável. A mãe, que manteve contato com Dhea, entrou em contato para dizer que era um lindo menino.

A cristã chorou de alegria e, alguns meses depois, o casal voltou para a casa dela com o bebê. Eles pediram que ela orasse pela criança, já que foi graças a ela que ele teve a chance de vir ao mundo.

Dhea ficou radiante. Ela sabia que aquela era uma grande vitória, pois poucos muçulmanos sequer consideram deixar um cristão orar por eles, quanto mais pelos filhos.

Ao concluir, a missionária disse acreditar que Deus tem um grande plano para esse menino que nasceu. Até hoje, os pais da criança continuam em contato com ela e compartilham novidades sobre o crescimento da criança.

Fonte: Guia-me