Após recusar abortar bebê com espinha bífida, mãe vê filha andar aos 3 anos: ‘Milagre’

Michael e Michelle Bower, de Indiana (EUA), ficaram maravilhados ao saberem que estavam esperando seu primeiro filho. No entanto, quando foram fazer o ultrassom de 20 semanas, além de descobrirem que teriam uma menina, a varredura mostrou que sua filha tinha espinha bífida.

Espinha bífida é um tipo de defeito no tubo neural que pode causar paralisia, alterações no cérebro e lesões traumáticas graves nos nervos.

“Tínhamos acabado de descobrir que teríamos uma menina no dia anterior”, lembrou Michelle. “Queríamos uma menina. Passamos do mais alto para o mais baixo dos mínimos em menos de 24 horas.”

Segundo os médicos, a criança provavelmente não andaria, falaria, se alimentaria ou respiraria espontaneamente. Eles sugeriram que Michelle considerasse interromper a gravidez, entretanto, o casal sentiu uma forte determinação em conceder à filha, que se chamaria Lacey, uma chance de lutar pela vida.

Para viabilizar isso, Michelle passou por um arriscado procedimento de três horas para fechar a abertura na coluna de Lacey enquanto ela ainda estava no útero.

Em 27 de abril de 2020, Michelle e Lacey passaram por uma cirurgia delicada. Mais de 35 profissionais médicos estiveram presentes no quarto durante o procedimento, garantindo todo o cuidado necessário. Após a cirurgia, Michelle foi orientada a permanecer em repouso absoluto na cama pelo restante da gravidez.

Lacey tinha espinha bífida e precisou de cirurgia ainda no útero. (Foto: Facebook/Michael Bower)

Em 20 de julho, Lacey nasceu de cesariana. A criança foi levada para a UTI neonatal, onde passou os próximos 18 dias aprendendo a se alimentar e começando a mexer os dedos dos pés e tornozelos.

Primeiros passos

Os médicos concluíram que ela ficou parcialmente paralisada da cintura para baixo, mas, desde o primeiro dia, Lacey tem superado as probabilidades.

Para a surpresa de todos, Lacey começou a se desenvolver de acordo com um cronograma relativamente normal em sua vida.

Surpreendentemente, quando ela atingiu a marca de 19 meses, seu nível de fala era comparável ao de uma criança de três anos em média. Apesar de sua paralisia parcial, ela nunca deixou isso atrasá-la fisicamente. Aprendeu a rolar, sentar e se levantar sozinha.

Agora, prestes a completar três anos, Lacey já deu até seus primeiros passos, auxiliada por um andador.

“Ela faz mais do que aquele médico jamais imaginou”, disse Michelle com orgulho. “Ela está puxando para ficar de pé, e suporta ficar de pé sozinha agora. Ela pode subir no sofá e ir para a cidade em seu cavalo de balanço”.

“Todos os dias você testemunha um milagre”, disse Michael.

Superando as adversidades

Lacey é uma menina que raramente é vista sem um sorriso no rosto, e sua risada tem o poder de aquecer até o coração mais frio, dizem seus pais. Além de ser inteligente e curiosa, o que mais se destaca nela é sua incrível determinação.

Lacey é uma criança feliz. (Foto: Facebook/Michael Bower)

Michelle e Michael dizem que têm plena convicção de que é essa determinação que a tem ajudado a desafiar todas as adversidades e a conquistar a habilidade de andar sozinha.

“Realmente é incrível porque há um ano ela estava de pé pela primeira vez”, maravilhou-se o pai. “Você sabe, fazendo algo que nunca pensamos que veríamos Lacey fazer. E agora já se passou um ano, e ela pode andar com seu andador, e quero dizer, suportando completamente todo o seu próprio peso, o que é simplesmente incrível, e eu realmente acredito que chegaremos a um ponto em que ela nem precisará de um andador. Ela tem esse impulso.”

Fonte: Guia-me