Após liberar perdão, jovem que sobreviveu a aborto testemunha transformação de vida

Fal, de Fiji, país na Oceania, cresceu em um lar onde via constantemente seu pai, que era viciado em drogas e álcool, ser violento com a família.

Sua mãe tinha 18 anos e estudava enfermagem, após se relacionar sexualmente por uma noite com seu pai, que era policial, ela engravidou.

“Então, minha mãe tentou fazer um aborto e somente pela graça de Deus, o procedimento não deu certo”, disse Fal ao canal do YouTube “Yeshua Testimonies”.

Seus avós obrigaram seus pais a se casarem e desde seu nascimento, ele conviveu com situações difíceis em casa.

Devido ao trabalho, seu pai desenvolveu um transtorno mental que pode acontecer em resposta à exposição a um evento traumático, e Fal relembrou:

“Meu pai acordava no meio da noite gritando e começava a andar pela casa. Para lidar com isso, ele começou a beber e usar drogas, e ficou extremamente agressivo”.

Fal acrescentou que conseguia ouvir sua mãe sendo agredida por ele: “Passamos por anos de violência doméstica em casa, até que chegou um ponto em que eu tentei impedir. Mas sempre levava uns socos”.

“Eu já sabia que era um erro para eles devido a tentativa de aborto, mas ser agredido pelo meu pai, era mais uma coisa que estava causando sérios problemas em minha saúde mental”, relatou ele.

Encontrando esperança em Jesus

Fal e sua mãe passaram algumas noites na rua, enquanto tentavam evitar as agressões do pai.

“Esses momentos foram difíceis. Era difícil pensar que existia um Deus vivendo nessas circunstâncias”, disse ele.

Tempo depois, sua mãe passou a frequentar a igreja e a buscar mais a Deus. Nesse período, Fal e sua família se mudaram para a Inglaterra depois que seu pai se alistou no exército britânico. No entanto, as coisas em casa pioraram.

“Eu ia para a escola com hematomas, minha mãe ia para o trabalho com hematomas e tentava esconder o que acontecia”, contou ele.

Logo depois, sua mãe engravidou e a chegada de sua irmã trouxe ainda mais pressão financeira sobre seu pai. Eles se mudaram para a Irlanda do Norte e Fal conseguiu uma bolsa em uma escola onde poderia jogar rugby.

“Então, algo milagroso aconteceu em nossa família. Meu pai se tornou cristão. Quando isso aconteceu, eu estava tão ressentido com ele e tinha dúvidas se alguém poderia salvar um homem tão cruel e violento. Eu pensei: ‘Não há como isso acontecer, Deus não vai querer salvar alguém assim’”, disse Fal.

Perdão e reconciliação

Fal e a família iam à igreja juntos e seu pai o incentivava a orar e ler a Bíblia, mas por ainda não lhe ter perdoado, o jovem não o ouvia.

Com 12 anos, Fal experimentou bebida alcoólica e, com o passar dos anos, ia a festas com os amigos: “Todos os dias meu pai me mandava mensagem dizendo que estava orando por mim, mas eu o odiava”, contou ele.

Enquanto crescia, Fal se destacou como jogador de rugby. Porém, em um jogo, ele quebrou a clavícula e lesionou alguns músculos do braço.

Nesse período, seu pai ligava para ele todos os dias para falar sobre a Bíblia e orar. Até que um dia, ele o recebeu em seu alojamento.

“Eu estava furioso com ele. Ele era a última pessoa que eu queria ver naquele momento. Comecei a gritar e falar sobre toda a dor que ele me causou e ao invés dele reagir como no passado, ele senta comigo na cama, compartilha um versículo da Bíblia e ora por mim”, contou Fal.

E continuou: “Ele perguntou se eu gostaria de aceitar Jesus. Eu o ouvi dizer pela primeira vez: ‘Eu te amo’. Tudo o que eu pensava sobre mim, foi embora naquele momento”.

Eles choraram juntos, e seu pai continuou ministrando a Palavra de Deus para ele.

“Eu já tinha escutado o Evangelho antes, mas naquele momento, ele fez sentido para mim. Parecia que Jesus estava ali e era tão perceptível. Oramos juntos e pedimos que Cristo entrasse em minha vida e eu soube que estava salvo”, afirmou ele.

‘Deus é real’

Fal contou que embora estivesse em paz, ainda estava lutando contra a sua lesão. Então, ele decidiu estudar a Bíblia para ver se o que havia experimentado era de fato real.

“À medida que estudei as Escrituras durante dois anos, descobri que, na verdade, Deus é ainda mais bonito do que aprendi”, declarou ele.

Em um culto, Fal ouviu sobre a conversão de Saulo na estrada de Damasco e achou que era uma coincidência com o que estava vivenciando. Quando participou de outra reunião de oração, eles estavam ensinando sobre a mesma passagem bíblica.

“Uma pessoa orou por mim e falou coisas que ninguém sabia. Então, Deus me disse: ‘Eu sou real’. E daquele ponto em diante, eu dei tudo de mim a Ele”, testemunhou Fal.

Ele contou que o Senhor o ajudou a lidar com o estilo de vida que seus colegas do time viviam: “Deus me santificou e eu vi que não precisava de bebidas e festas. Hoje, sou casado, trabalho com rugby e vou ser pai. E tudo isso é pela graça de Deus. Ele usou minha história para a sua glória”, concluiu ele.

Fonte: Guia-me