“A vida é uma dádiva”, alerta pastor contra suicídios

Esta é a Semana Nacional de Prevenção do Suicídio devido ao Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio no último domingo (10). Por isso, este mês, é realizada a campanha Setembro Amarelo.

Muitas organizações aproveitam o momento para reforçar que há ajuda, esperança e um caminho a seguir para aqueles que lutam contra os distúrbios de saúde mental.

O pastor Jesse Bradley, que dirige a “Grace Community Church” em Auburn, Washington, nos Estados Unidos, compartilhou suas reflexões sobre o tema: “Precisamos de Deus e precisamos uns dos outros”.

“As taxas de suicídio estão aumentando e as histórias são devastadoras”, disse o pastor à Fox News.

Para ele, existe a necessidade de informar que há ajuda disponível e isso não deve ser feito apenas uma vez ao ano.

Dados científicos

Segundo dados recentes dos “Centers for Disease Control and Prevention” “Centros de Controle e Prevenção de Doenças” (CDC), as taxas de suicídio atingiram um nível mais alto nos EUA.

Em agosto, a agência informou que cerca de 49.500 pessoas morreram por suicídio em 2022, um aumento de 2,6% em relação ao ano anterior e o maior número já registrado.

No Brasil, o número de suicídios cresceu 11,8% em 2022 comparado a 2021. As estatísticas fazem parte do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado em julho, segundo o portal de notícias UOL.

Em 2022, foram registrados 16.262 casos, uma média de 44 por dia. Em 2021, foram 14.475 suicídios. Em termos proporcionais, o Brasil teve 8 suicídios por 100 mil habitantes em 2022, contra 7,2 em 2021.

Como ajudar?

A partir dos dados apresentados, o pastor Bradley questionou: "O que podemos executar juntos para fazer a diferença?". Então, ele compartilhou três ideias:

A primeira é o 'Conhecimento': “Se você conhece alguém que começa a ficar deprimido e isolado, não ignore a situação”.

E continuou: "Quando alguém lhe disser que está pensando, planejando ou tentou suicídio, não mantenha isso em segredo. É hora de encontrar ajuda".

A segunda sugestão do pastor foi ter 'Ousadia': “Faça perguntas diretas. Dizem que você precisa perguntar a alguém três vezes antes que ele realmente lhe diga como está”.

“Ouça com atenção. Você pode agir reduzindo o acesso da pessoa a meios comuns de suicídio, como armas de fogo ou overdose de medicamentos”, acrescentou ele.

E por fim, ele falou sobre a 'Conectividade': “Muitas pessoas sofrem sem um senso de esperança, propósito ou pertencimento. Eles estão famintos por amor e relacionamentos”.

“Se você ou alguém que você conhece está sofrendo, entre em contato com um profissional, grupo comunitário, igreja, pastor ou ligue para centros de atenção psicossocial”, alertou o pastor.

A solução é Jesus

De acordo com Bradley, um relatório do ano passado indicou que o suicídio é a segunda principal causa de morte de jovens adultos, com idades entre 15 e 24 anos.

“Quase 20% dos estudantes do ensino médio relatam pensamentos sérios de suicídio e 9% tentaram tirar a vida, de acordo com a Aliança Nacional sobre Doenças Mentais”, observou o sistema de saúde americano UCLA Health.

“O suicídio é uma decisão permanente e uma reação a uma situação temporária. Sobreviventes de tentativas de suicídio muitas vezes contam mais tarde que sentiram arrependimento instantâneo", afirmou Bradley.

E continuou: "Há uma saída e uma solução melhor. Deus é quem levanta nossas cabeças. Ele proporciona restauração e coloca os solitários em comunidade".


Evento sobre o Setembro Amarelo. (Foto: Instagram/Você Não Está Sozinho 09)

Testemunho do pastor

O pastor Bradley também compartilhou seu testemunho e citou a Palavra de Deus para demonstrar o quanto Jesus se importa com a vida dos seus filhos.

“Eu sei o que é se sentir sem esperança, pois tive uma doença trágica que incluiu lutar pela minha vida durante anos para sobreviver plenamente. Deus me curou. Agora é minha paixão espalhar esperança pelo mundo”, contou ele.

"A vida é uma dádiva. A esperança está ao alcance de todos, e é relacional, habitual e indestrutível”, acrescentou.

Bradley destacou: "Na Bíblia, em Atos 16, há um carcereiro que planeja tirar sua vida. Paulo e Silas estendem a mão e compartilham o amor de Jesus. Então, o carcereiro começa a ter um relacionamento com Deus e logo toda a sua família é batizada também. Portanto, a graça de Jesus transforma e satisfaz nossas almas da maneira mais profunda”.

E continuou: “Ser ativo em uma igreja e passar tempo meditando na Palavra de Deus nos fortalece e capacita. Você pode decidir seguir Jesus hoje, e ninguém jamais poderá tirá-lo da presença de Deus, da aceitação e da vida eterna juntos”.

E concluiu dizendo: “Permanecer com Jesus nos dá uma casa na rocha, não na areia”.

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade.

O CVV (https://www.cvv.org.br/) funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

Fonte: Guia-me